quarta-feira, 15 de abril de 2015

Horta caseira

A agricultura urbana vem despertando cada vez mais o interesse. Além do prazer de cultivar alimentos orgânicos na sua própria casa, o cuidado com as plantas também ajuda a reduzir o estresse do dia a dia.


Antes de mais nada é preciso analisar se existe um espaço adequado em sua casa ou apartamento para abrigar as plantas. É necessário um local que tenha pelo menos quatro horas por dia de sol ou grande luminosidade. Porém, elas não devem ficar expostas ao sol o dia inteiro ou receber ventos fortes.


As plantas precisam de espaços diferentes para se desenvolverem, vejam algumas dicas para organizá-las nos vasos:
Vasos de 15 a 20 cm de altura: temperos (salsinha, alecrim, etc.), alface, acelga, etc.
Vasos de 40 a 50 cm de altura: berinjela, pepino, tomates, abobrinha, etc.
Vasos suspensos: temperos e tomate cereja.
Vasos de plástico: são leves, bem fechados e retêm adequadamente a umidade e o calor. Ideal para cultivar temperos como o manjericão.
Vasos de terracota ou cerâmica: são porosos e permitem uma melhor evaporação do excesso de água para evitar o encharcamento.

Quanto maior a profundidade do vaso, maior será o espaço para desenvolver suas raízes. Uma planta cultivada num vaso grande pode dar frutos mais saborosos. Você pode também reaproveitar potes e caixas, por exemplo, caixote de madeira, vaso, lata de leite ou achocolatado, garrafas PET, cano de PVC, pneu etc. Existem muitas opções e você pode deixar a sua imaginação lhe guiar, contanto que o recipiente  tenha furos embaixo para que o excesso de água escoe.


Para pequenas áreas, as jardineiras de cimento são mais adequadas. Os modelos ideais são aqueles com profundidade e largura mínimas de 30 cm e capazes de drenar o excesso de água. Em geral, as hortas podem ser feitas em qualquer lugar, de pequenos vasos a grandes canteiros. O que muda são as espécies a serem utilizadas. Seguem algumas ideias:
Agrião, alface, almeirão, beterraba, capim-limão, cebolinha, cenoura, coentro, endro, estragão, hortelã, manjericão, manjerona, orégano, rabanete, rúcula, salsinha e tomilho.


O primeiro passo para começar a plantar é a escolha do que será cultivado. É preciso saber que tipo de solo a espécie vive e se ela gosta de muita água ou não. Ervas como o alecrim e sálvia, por exemplo,  são provenientes do mediterrâneo e acostumadas com solo arenoso e seco, já o manjericão e a salsinha preferem um solo mais úmido com muitas regas. É importante categorizar as plantas para escolher quais compartilharão o mesmo vaso. Lembre-se de combinar plantas altas para fazer sombra às menores. Quanto maiores os tipos de cultivos, maior resistência a fungos, larvas e pulgões.


No mesmo vaso, você pode plantar até duas espécies, desde que as características delas sejam parecidas. Também é importante observar a distância entre elas. Manjericão e coentro, por exemplo, podem ser plantados no mesmo vaso, a uma distância de 30cm um do outro. Os dois devem ser plantados em solo médio, ou seja, nem arenoso, nem argiloso. Orégano e manjerona também podem ocupar o mesmo vaso, desde que estejam distantes 30cm e sejam plantados em solo arenoso.


O plantio através de mudas é mais prática e pega mais rápido, como no caso da alface e escarola. Faça um buraco na terra de mais ou menos 1cm de profundidade, onde as raízes possam crescer, e coloque a muda. Depois, cubra com terra e aperte em volta para dispersar os bolsões de ar.

Os melhores momentos para rega são pela manhã ou ao final da tarde. Não existe receita para isso. É preciso ter algumas informações prévias sobre cada espécie e observá-las. Pode-se também colocar o dedo na terra para ver se está úmido ou até mesmo deixar sempre um palito de sorvete espetado nela. Assim, quando você retirar, saberá se a terra precisa de água ou não. Elabore alguma maneira eficiente de drenar a água, pois as hortas precisam ser regadas constantemente (duas vezes por dia no verão e uma vez por dia no inverno), mas não podem ficar encharcadas.


Coloque uma camada de húmus a cada três meses. Não super-estimule as plantas no inverno, neste período elas tendem a ficar feias. Porém, este processo faz parte de seu ciclo, onde ela ganha energia para florescer na primavera.


Na hora de podar galhos, corte sempre na diagonal e próximo a nós. Caso você retire frutos ou folhas, é preciso cortar seu galho dois pontos de brotamento abaixo. Por exemplo, se você retirar uma pimenta de um galho, é necessário cortar parte deste galho para que a planta tenha energia para se desenvolver melhor.


A salsa, o alface e os legumes ricos em água como a abobrinha devem ser colhidos de manhã.
As frutas e os temperos como o louro, o alecrim e a sálvia devem ser colhidos no final da tarde para aumentar a concentração de bons óleos essenciais no alimento graças à ação do sol.
Uma vez colhidos, os temperos, legumes e as frutas da sua hortinha devem ser higienizados e consumidos em poucos dias. Lembre-se: 20 a 30% das qualidades gustativas de um alimento desaparecem poucas horas depois da colheita.

Remédio caseiro para controle de pragas na horta:
Solução de água e sabão
• Diluir 50g de sabão em pedra em 1 litro de água quente.
• Após esfriar, diluir a solução em 5 litros de água e pulverizar as plantas.
• Combate: pulgões, cochonilhas e lagartas

Macerado de alho
• Esmagar 4 dentes de alho em 1 litro de água e deixar de molho por 12 dias.
• Diluir 1 litro da solução em 10 litros de água e pulverizar as plantas.
• Combate: pulgões








Fonte:
http://delas.ig.com.br/
http://www.pastoraldacrianca.org.br/pt/
http://lar-natural.com.br/
http://ciclovivo.com.br/








Nenhum comentário:

Postar um comentário